Que isso sirva de lição para as empresas que ainda não entenderam. Mais vale um cliente satisfeito do que dois reais na mão. O que quero dizer com esse trocadilho infame é que cada vez mais o consumidor tem a possibilidade de criar seus meios de reclamar – ou virgar-se. E a internet é o maior deles.

Dentre vários exemplos existentes, dois me chamam muito a atenção nesses últimos tempos: Credicard Citi, a pior operadora de cartão de crédito e o site Saraiva Não.

A primeira, Credicar Citi a pior operadora de cartão de crédito, na minha opinião é a pior. É tipo uma vingança geek, onde o autor do (ótimo) blog Revolução Etc que teve um problema de relacionamento com a empresa criou uma chamada Google Bombing. Ou seja, toda vez q vc fizer uma pesquisa no google como a pior operadora de cartão de crédito a primeira opção será Credicard Citi.

A outra é um pouquinho menos nerd. Mas tem uma mobilização maior, uma vez que vários compradores que se sentem lesados pela empresa se uniram em torno dessa causa. E um deles criou o site Saraiva Não, onde além de pregar contra a empresa ainda conta passo a passo o andamento das tentativas de negociação. Pelo que entendi eles compraram um iPod Touch e entregaram outro modelo.

Não entendo como, com todo esse acesso, as empresas brasileiras ainda não entenderam que o consumidor é parte importantíssima em toda cadeia de mercado delas e deve ser tratado como tal. Deve ser tratado bem. O que eu postei aqui certamente são alguns exemplos curiosos do que um cliente insatisfeito pode fazer. Todo mundo fala sobre isso. Mas ninguém faz nada contra.

Anúncios